Cores

Blogaholic Designs”=

2 de jul de 2010

A arte de fuxicar

Nunca pensei que fuxicar fosse tão difícil. È um exercício de paciência e confesso que estava quase perdendo a minha. Fuxicar é um verbo que acabei de inventar, pois na verdade o que eu estava tentando fazer era uma linda florzinha de retalhos para colocar no meu cachecol e a essa tarefa dá-se o nome de fuxico. Haja paciência! Era um tal de fazer e desmanchar porque nada saía de acordo com o manual de instruções. E levanta e corta e faz molde e costura e enfia a linha na agulha e perde a agulha e perde o ponto e por ai vai. Passei praticamente uma tarde inteira tentando fazer o “raio” do fuxico e para minha total alegria e satisfação eu consegui fazer um! Eu consegui!!!!
É interessante como essa pequena arte pode nos ensinar algo sobre paciência e persistência, pois foi exatamente isso que aprendi. Nesse ato constante de errar para acertar acabei exercitando um lado meu que de vez em quando deixar a desejar. Às vezes tenho a paciência, mas me falta a persistência e vice versa. Como seria bom se pudéssemos aliar paciência e persistência, não é mesmo? Porém nem sempre é possível.
Entre uma furada e outra no dedo tentando acertar o ponto ideal do fuxico aprendi que preciso persistir mais nos meus sonhos. Entre um molde e outro aprendi que preciso ter paciência para atingir meus objetivos.
Às vezes não precisamos de obstáculos muito grandes para verificar o nosso nível de persistência ou paciência. São nos mínimos detalhes que precisamos treinar. Às vezes é o trabalho que não aparece, às vezes é a conquista da faculdade ou até mesmo dentro de um relacionamento. Não importa, pois a todo o momento somos levados a exercitar pelo menos um desses dois sentimentos.
E olha que ser paciente e persistente nos tempos atuais é uma virtude e digo isso porque vivemos a época do “aqui e agora” e isso nos trás um peso emocional tão grande que se não tomarmos cuidado adoeceremos e Certamente Deus não deseja isso para cada um de nós.
Bom, que Deus te dê paciência e persistência para continuar seu trabalho e sua jornada, afinal “fuxicar” é uma arte!




1 de jul de 2010

Hoje será um dia daqueles! Acordei, levantei, fiz a minha devocional e sentei-me a frente do meu computador para escrever uma mensagem.
Tentei falar sobre diversas coisas. Tentei falar sobre fé, sobre coragem, sobre a ousadia do profeta Elias e até mesmo da própria mulher, mas para minha surpresa hoje não estou tão inspirada assim!
Tudo está na minha cabeça. Tenho as idéias, mas não estou conseguindo passar para o papel e estou me perguntando o que está acontecendo? Ainda não tenho a resposta, mas posso afirmar com certeza que o dia hoje será totalmente meu.
Será o dia para fazer algo diferente ou não. Será o dia para ficar em casa de pernas pro ar ou quem sabe colocar algumas pendências em ordem. Será o dia para cuidar da minha pele, da minha saúde, da minha beleza ou simplesmente relaxar e deixar o dia correr solto, como um rio que corre para o seu destino. Quem sabe? Somente Deus o sabe e se só Deus sabe então está tudo bem, pois a minha vida está totalmente nas mãos daquele que me criou.
Sabe às vezes nos enchemos de obrigações que nos aprisionam tirando toda a nossa vivacidade. Dizemos o tempo todo que temos que fazer isto ou aquilo e simplesmente esquecemos que também temos o direito de não querer fazer nada. Vivemos engessadas por nossas obrigações do dia a dia.
Não estou conclamando uma multidão de mulheres a deixares os seus afazeres, mas sim que de vez em quando se permitam viver fora do seu casulo. Lembram da borboleta? Ela só cria asas depois que ela passa um período num casulo. O casulo não é para aprisionar, mas para preparar a borboleta para se tornar a mais bela e a mais linda sua região.
Que coisa interessante! O gesso aprisiona, endurece e nos faz esquecer quem realmente somos. Entretanto, o casulo nos prepara para a vida, nos prepara para voar.
Que tal ser uma borboleta hoje? Que tal voar e ser livre dentro da liberdade que Jesus deu a você e a mim? Que tal sorrir um pouco, rir com os amigos, cantar, dançar ou até mesmo aproveitar o dia para cuidar das suas asas que se danificaram com tempo?
Comecei este texto sem inspiração nenhuma e olha o que aconteceu. Você quer experimentar? Então saia do seu casulo e comece a voar na direção do que Deus tem para você.