Cores

Blogaholic Designs”=

20 de abr de 2010

O amor e as diferenças
ICor. 13



Recentemente terminei de ler um livro que abordava a questão do amor romântico nos dias atuais e para ilustrar toda a leitura o autor contou a história de Tristão e Isolda. O enredo da história se baseia justamente num amor inacessível e sofrido vivido pelo casal. Tristão projeta em Isolda a Mulher perfeita, aquela em cuja mão está toda a felicidade de Tristão, e, Isolda por sua vez também projeta no seu amado o ideal de homem perfeito.

A história, apesar de dramática, é bonita, pois fala justamente dos anseios de todo homem e mulher. Trata da vontade de encontrar seu par ideal e perfeito, mas é apenas uma linda história e sabemos que no dia a dia não funciona bem assim.

Deixa-me contar um segredinho para todos. Não existe homem perfeito e muito menos a mulher perfeita, pois se assim fosse nós seríamos auto-suficiente e nos bastaríamos. Mas a proposta de Deus é justamente o oposto. A proposta de Deus é justamente unir duas pessoas diferentes e em cima disso construir um amor sólido tendo como base o respeito mutuo e a cumplicidade.

As diferenças existem não para separar, mas para aprendermos que podemos crescer juntos apesar de. E daí se eu gosto de macarrão e ele carne? E daí se ele prefere um filme de ação ao invés de um romance recheado de frases melosas? E daí se ele prefere o dia e eu a noite? E daí se ele prefere uma coisa e eu outra? Somos duas pessoas com pensamentos e gostos diferentes e o grande achado da relação é justamente acertar essas pequenas coisas. É incrível como os divórcios estão crescendo a cada dia por motivos fúteis. Se ele ou ela não concordam com alguma coisa isso já é motivo para abalar o alicerce do casamento e se fulaninho não pensa como “eu”, então é porque o amor acabou.

Creio que o que falta para muitos casais é um pouco de maturidade. Muitos são levados ao altar por motivações erradas e depois que a ficha cai ai a pessoa se dá conta que não era bem isso que ele ou ela queria e a primeira solução que vem a cabeça é a separação.

Gostaria de finalizar fazendo o leitor pensar um pouco na casa dos seus sonhos e em todo o processo de construção. Pense em cada tijolinho colocado, em cada parede levantada, em cada massa preparada e em tantos outros detalhes que farão parte da sua casa. Pensou? Então, o amor dentro de um casamento é mais ou menos assim. Ele é construído no dia a dia. A cada dia precisa-se colocar um tijolinho aqui, uma massinha acolá, mas no final a “casa” será levantada e se vier qualquer vento ou chuva ou até mesmo uma tempestade, estes não serão capazes de derrubar esse lindo lar, pois a casa foi firmada na rocha.

Que Deus abençoe.